Disciplina fiscal é fundamental para garantir investimentos, dizem governadores

22 de agosto de 2019 Off Por admin

O governador do Ceará, Camilo Santana, destacou que a disciplina fiscal é fundamental para que um governo garanta investimentos de infraestrutura. Segundo ele, o estado vem tendo esta disciplina ao longo dos últimos 30 anos, independentemente da ideologia dos governos, o que faz com que, hoje, o Ceará tenha o maior índice de investimento do país em relação a Receita Corrente Líquida, em torno de 15%, em 2018.

“Em valor nominal, só investimos menos que São Paulo em 2018”, afirmou Santana em sua palestra no Abdib Fórum Infraestrutura Regional – Nordeste, que acontece no Piauí.

Segundo Santana, a disciplina fiscal fez com que fosse possível investir R$ 1,5 bilhão em obras para garantir a vinda de uma Siderúrgica para o Porto de Pecém e dar segurança para trazer parceiros internacionais para a gestão do porto, delegado ao estado.

De acordo com ele, além do porto como Hub para a área de mineração e logística, o estado investe em ser também um Hub de Conexão de Fibra Ótica e outro de Aviação. Camilo Santana afirmou ainda que prepara para este ano a concessão da primeira planta de dessalinização do país, com capacidade para abastecer 17% da capital do estado.

 

Paraíba

O governador da Paraíba, João Azevedo, também destacou a necessidade da disciplina fiscal, dizendo que o estado tem Rating B no Tesouro Nacional, para garantir uma boa infraestrutura. Segundo ele, é necessário ainda buscar as vocações regionais para ter os melhores projetos.

Coutinho contou que, pela localização do estado, o mais a leste do país e mais próximo do continente africano, foi desenvolvido um projeto de um terminal portuário para estaleiro de manutenção de navios que precisam fazer o trajeto para outros continentes.

O projeto será apresentado ao governo federal na próxima semana e tem previsão de investimentos de US$ 1 bilhão e será construído em frente ao atual Porto de Cabedelo. Além do projeto portuário, Coutinho ressaltou ainda outros projetos no estado, como na área turística e de energia solar e eólica. E cobrou que o governo federal termine a Tranposição do São Francisco para garantir segurança hídrica ao estado.

“Faltam 4%. E esses 4% são muito importantes”, disse Coutinho.

 

Pernambuco

A vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, disse que, nos últimos anos, houve uma mudança na matriz econômica do estado, como maior diversificação. Isso levou ainda a uma taxa de crescimento maior e uma inserção do estado em mais cadeias econômicas.

Santos apresentou projetos de infraestrutura que estão sendo desenvolvidos pelo governo estadual, como rodovias e a PPP para a Arena construída para a Copa do Mundo.

A vice-governadora lembrou que o país está com uma taxa de investimentos muita baixa nos últimos cinco anos e é necessário resgatar o desenvolvimento da infraestrutura como projeto de nação.

“Infelizmente, hoje estamos vivendo o desafio de garantir a institucionalidade”, lamentou  a vice-governadora Pernambucana.